Storm Thorgerson

- Edição 2014 mundialmente limitada a 750 exemplares. Livros numerados à mão.

Livro : 255 páginas
+ de 600 visuais..

Formato grande : 260mmx360mm

Encadernação : capa em couro encadernada pelos ateliers Babouot (rótulo EPV).

Papel de creação Fedrigoni
SYMBOL TATAMI IVORY
200 gr cor de marfim.


Douradura : prata nas 3 lombadas, cabeça e seis marcadores às cores de Dark Side of The Moon.
entregue em 72 horas


Storm Thorgerson  28 de fevereiro de 1944 - 18 de abril de 2013 

« Quero representar a música », afirmava Storm Thorgerson com convicção.Consacrará toda a sua vida a esta divisa, desde a fundação do coletivo de grafismo Hipgnosis com o seu cúmplice Aubrey Powell em 1968, até ao dia 18 de abril de 2013 em que desapareceu com a idade de 69 anos.


« Conhecemo-nos jóvens. Encontrávo-nos em Sheep’s Green, um lugar na margem do rio em Cambridge, e Storm estava sempre a conversar, a fazer mais barulho, cheio de ideias e cheio de entusiasmo. Nunca nada mudou verdadeiramente. Ele foi uma força permanente na minha vida, quer seja no trabalho ou na vida privada, um ombro reconfortante e um amigo formidável ».
DAVID GILMOUR


Para realizar as capas dos discos dos maiores grupos da história do rock (os Pink Floyd, claro, mas também os Led Zappelin, Peter Gabriel, Genesis, Black Sabbath ou mais recentemente os Muse), Storm Thorgerson estava pronto a tudo : deslocar 700 camas de hospital para uma praia em Devon (para o álbum dos Pink Floyd « A Momentary Lapse Of Reason »), ou ingenuamente usar a foto de uma vaca num campo(« Atom Heart Mother »). Ele encarnava o génio em todas as suas formas, a sua técnica surpreendente servindo várias vezes uma criatividade sonhadora. Encenação sofisticada ou forma geométrica sobre um fundo negro, as suas imagens falavam com o nosso inconsciente. E o tempo deu-lhe razão : não só algumas das suas capas permanecem como referências várias décadas após ter sido concebidas, como as mensagens subliminais que ele lá infundava se revelam ser atuais ainda hoje.

 


Storm Thorgerson denuncia os desvios de segurança das nossas sociedades capitalistas, e insurge-se contra a exploração do homem pelo homem que traz a humanidade de volta ao estado animal. Os criticos de arte por vezes focam nele a influência de Dali ou de Magritte, mas quando lhe faziam preguntas sobre o seu método, Storm Thorgerson pretendia que se deixava simplesmente guiar pela música para encontrar a inspiração.


Este artista único, profundamente vanguardista e com uma generosidade sem limite, terá inscrito o seu próprio nome na história do rock n’ roll. Como o qualificava o muito nobre diário The Guardian, ele era simplesmente « the world's greatest record sleeve designer ». E ainda mais do que isso.